03 novembro 2009

Novo presidente da Câmara governa em minoria

O novo presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães, José Luís Correia, tem o desafio de governar em minoria nos próximo quatro anos. Tomou posse no sábado e acredita que vai conseguir gerar consensos na oposição.
O autarca tem a seu lado no executivo Adalgisa Barata, como vice-presidente. Foram eleitos pela coligação PSD-CDS/PP. E são três os vereadores da oposição (um do PS, Augusto Faustino, e dois da candidatura independente, Olímpia Candeias e Marco Azevedo).
“Governar em minoria pode não vir a tornar-se difícil, porque os programas eleitorais eram todos muito semelhantes e as pessoas têm de ser coerentes”, adiantou José Luís Correia, ciente de que iniciou o trilhar de “um caminho sinuoso cheio de obstáculos e dificuldades”. Porém, prometeu “não desanimar nem desistir”, ainda que, frisou, “possa haver pessoas que pensem o contrário”.
O antecessor, Eugénio de Castro, desejou-lhe boa sorte para conseguir “um grande entendimento entre o presidente e todos os vereadores”. Prometeu ser um “munícipe atento e colaborante”, ironizando que da sua parte “não haverá blogues”. Arrancou palmas da assistência. Para bom entendedor, ficou claro que não emitirá opiniões nos blogues da terra na internet, que durante o seu mandado foram férteis em apreciações ao seu trabalho, as mais delas negativas.
E a fechar, um aviso: “Não são aqueles que andam à sua volta, os que o bajulam, quem o vai ajudar. São esses que na primeira porta o vão trair. Fala a voz da experiência”. Agora, como vincou o presidente cessante da Assembleia Municipal, Rui Moreira, “passou o tempo das promessas e da retórica. É tempo de preparar a terra e deitar as mãos às alfaias. Todas as mãos são poucas para juntar. Para dispersar, não, muito obrigado!"
José Luís Correia não precisou que lhe pedissem muito e prometeu “trabalho”. E, segundo disse, logo a partir das 14 horas de ontem. Em termos de objectivos futuros quer promover o desenvolvimento do concelho, através da valorização dos recursos endógenos, da criação de emprego e fixação da população.

Eduardo Pinto na Rádio Ansiães

5 comentários:

mario disse...

Desejo as maoires felicidades ao P José Luís na dificil tarefa que o espera

Espero que defenda intransigentemente os valores e os interesses de Carrazeda e consiga incentivar e motivar os Carrazedenses a acompanhá-lo nessa defesa

Além da Linha e Vale do Tua e de todos os problemas mais que conhecidos vem agora mais este:



lá se vai a AE da justiça




Tribunal de Contas chumba 2 concessões de auto-estradas
Douro Interior está entregue à Mota-Engil e Transmontana à Soares da Costa

Por: Redacção /PGM | 03-11-2009 18: 22
Vote 12345Resultado 12345 votos0 comentários O Tribunal de Contas chumbou dois contratos de concessão de duas auto-estradas: a Douro Interior e a Transmontana, avança o «Expresso».

A primeira destas obras foi adjudicada ao consórcio Aenor, liderado pela Mota-Engil. Já a outra, está adjudicada à Soares da Costa.

Segundo a edição online do jornal semanário, as obras das autoestradas Douro Interior, entre Celorico da Beira e Macedo de Cavaleiros, e Transmontana, entre Vila Real e Bragança, vão ter que parar por não terem tido luz verde do tribunal.

Os contratos terão de ser agora renegociados para serem novamente submetidos à aprovação do Tribunal de Contas.

A Agência Financeira contactou o Tribunal de Constas para tentar saber as razões deste chumbo, mas até ao momento não recebeu qualquer esclarecimento.

Anónimo disse...

Terá dias negros, se deixar os Chefes de departamento tomarem decisões como fazia o outro, tanta competencia lhes deu que ja eram eles que mandavam, este que abra bem os olhos e que acabe com a arrogancia dos empregados, ali so deve mandar ele e a a Vereadora, os outros sao empregados pagos pelos eleitores, que trabalhem ganham muito bem.
Antonio

Anónimo disse...

Será que o Presidente é louco ou ingénuo?

Anónimo disse...

O atual Presidente parece boa pessoa, que não se deixe levar, terá muita gente a tentar passar-lhe a perna, mas que não se deixe enganar. Depois da tomada de posse já confrontei alguns funcionários da Câmara e parecem satisfeitos com o desempenho do actual Presidente, mas continuam com medo do Director de Macedo, dizem mandar mais que o Presidente. Tanto quanto conheço do Zé Luís, não me parece pessoa de se deixar ir em conversas, mas...

Anónimo disse...

Pois, o "mas" é que é o problema