01 agosto 2010

viver

não há
maior alegria
do que estar VIVO
e ter asas,
subindo
dominando
as escarpas da VIDA

e olhando...

ver cada manhã
espantando as estrelas

e sentindo...

sentir que as roupagens
da VIDA
vão moldando
os CORPOS

ver tudo
sentir tudo
com o coração

porque

SÓ SE VÊ COM O CORAÇÃO

( o resto é invisível para os olhos)

h.r.

2 comentários:

Carlos disse...

Vida e “Vida”

Toda a gente sente vibrar a adormecida sensibilidade poética diante de uma composição como esta.

Porquê? Só por causa do tema? Só pela rima?

Não, principalmente pelo ritmo, pelo invencível “andar musical” da expressão, e pela natural arquitectura dos versos.

Para sentir a beleza não é preciso saber fazer versos; mas para traduzir a poesia é necessário que a “expressão” consiga pela força produzir, suscitar emoção estética.

Gostei,Caro h.r.

Senti-me a viver a sua poesia;
Dei por mim a “sonhar” ao som da música da sua fantasia;
Encontrei beleza expressional na melodia, no ritmo da sua linguagem,
Aspirei a beleza tradutora da outra beleza nos seus versos - a do assunto imaginado.


Carlos Fiúza

Anónimo disse...

Acabo de levar um tiro no coração! Tal a surpresa do impacto emocional que a excelente apreciação estético-literária de Carlos Fiúza me provocou. Também me pareceram versos simples mas sentidos, quando numa destas manhãs de domingo dei comigo a preencher o espaço branco (numa dádiva aos outros) com eles. E assim ficaram, depois de relê-los.
É sempre gratificante para mim, quando alguém gostou do que escrevi. Isso motiva para futuras dádivas possíveis. Obrigado, Carlos.
h.r.