29 agosto 2010

Carrazeda - No Bairro do Iraque

6 comentários:

mario carvalho disse...

cito

Mas na faculdade nunca ousou a confissão. "Era estranho ver os colegas a defenderem as minorias nas aulas e depois a condená-las cá fora". Hipocrisia que se habituou a assimilar.


tudo o resto é ...nada


Os ciganos .. nós conhecemos .. o que me preocupa e temo...são as imitações

mario carvalho disse...

http://tv1.rtp.pt/noticias/index.php?t=Prova-de-rendimentos-nao-tributados-sera-pela-Internet.rtp&article=370936&visual=3&layout=10&tm=

João disse...

Por acaso,conheço as comunidades ciganas de Carrazeda e de Paredes.Efectivamente,são muito parecidas:sossegadas,educadas,não causando quaisquer tipos de problemas para além de existirem e nos perturbarem a consciência.
Em geral,os ciganos não têm grandes hábitos de trabalho e têm modos de vida nos quais não nos revemos.Mas não há dúvida,julgo eu,que os seus elementos são,maioritariamente,portugueses.Acho que devemos fazer algum esforço por integrá-los.
Devemos exigir-lhes que passem a ter uma vida parecida com a nossa e,em contrapartida,ajudá-los a resolver o problema habitacional,instalando-os,provisoriamente,em bairros pré-fabricados,com o propósito de ,dentro de 15,20 anos,passarem a ter residências mais definitivas e condignas. A acção principal deve ser exercida junto das crianças,para que elas se vão integrando mais e mais na nossa sociedade.
Claro que também outras pessoas espalhadas pelas aldeias precisam de ser ajudadas:não podemos olhar para a comunidade de ciganos e esquecer as outras pessoas.
Não devemos adorar os ciganos nem desprezá-los.No meio é que está a virtude.
JLM

Anónimo disse...

Sobre os ciganos em geral e os de de Carrazeda de Ansiães, em particular, leiam o livro de Hélder Rodrigues.

Anónimo disse...

Muito bem dito!Apoiado!

João disse...

É infalível alguém vir dizer que se leia o que sobre um assunto escreveu H.R., como se nós não tivéssemos o direito de dizer algo sobre o assunto por palavras nossas.
A contribuição de H.R. é sempre muito útil e o que dizemos tem já subjacente a leitura do que ele escreveu,mas deixem-nos falar nos assuntos usando a nossa maneira de dizer.
JLM