04 dezembro 2013

O monstro: por João Lopes de Matos

Portugal tem vivido muito mas muito tempo preocupado com um monstro terrível, que tem assombrado a nossa vivência como povo: a dívida.

Não se trata de um monstro que habite um qualquer lago ou sequer as alturas da Serra da Estrela. Trata-se sim de um animal, que vive connosco , na nossa morada, e atormenta os nossos dias e as nossas noites. É um terrível vampiro, de enormes proporções, que, ao mais pequeno descuido, nos suga o pouco sangue que nos corre nas veias.

Durante décadas, demos-lhe tudo e ele deixou-nos sossegados. Sossegados mas aperreados. Durante todo esse tempo não nos foi permitido levantar a cabeça. Mal ganhávamos para o alimentar. Nunca fomos capazes de gerar a abundância que permitisse alimentá-lo e ficarmos com uns trocos para nós, para o nosso bem estar.
A partir de determinada altura, deu-nos para pensar que era possível chegar para ele e para nós. Vã ilusão! Ele começou a pressionar-nos e, neste momento, a pressão é insuportável. Mas se nós, quando estávamos equilibrados, não tínhamos comida para mais nada senão para alimentá-lo, agora que está esfomeado, como vamos arranjar sequer para ele, se necessitamos ainda de uma parte para nos mantermos de pé e para trabalharmos para o seu sustento?

Ainda agora, vendemos uma valiosa jóia que tínhamos guardada e a receita mal deu para tapar um buraco dum dente de tamanho comilão.

A situação está a ficar insustentável. Muitos, que já não conseguiam viver mais tempo com o monstro , constataram que a melhor saída seria largar a casa e demandar outras paragens, onde pudessem viver mais despreocupadamente e juntar algum dinheirito para a sua velhice. 
E foi isso mesmo o que foi feito por outros, nos anos sessenta, setenta, que até conseguiram enviar remessas para melhorar a vida da família e permitir que o governo pudesse pagar mais facilmente as dívidas ao estrangeiro.

Realmente, quem fica não ganha sequer para si quanto mais para o monstro. Será uma vida de sacrifício inglório, porque sem fim à vista. Ainda se os credores tivessem um assomo de generosidade e nos perdoassem alguma coisinha! Ou então nos dessem possibilidade de desenvolver o nosso negociozito, talvez ao longo de muito , muito tempo, pudéssemos ir pagando com um juro baixo ou nulo.

Quando um ser chega ao estado de debilidade a que chegámos necessita de muitos cuidados para não morrer e para quase ressuscitar do estado comatoso em que nos encontramos.

Claro que nunca se pôs em causa a nossa honra e o desejo firme de pagar. Mas estes chegarão para conseguir satisfazer o monstro? É que não bastam estas virtudes que sempre tivemos. E, pensando bem, a besta também abusou da nossa ingenuidade para atingir um tamanho enormíssimo. Ela apanhou-nos distraídos e ajudado pelos colegas da Europa e da América aproveitou para crescer da noite para o dia. E de que maneira! Bom, bom, nós também tivemos culpa. Simplesmente, quem agora sofre são muitos dos que não tiveram culpa nenhuma!
Isto é complicado! E, por isso, tal com o nosso primeiro, também aconselho os novos a emigrarem e deixarem esta trapalhada para os velhos como eu, que já não podem sair.

E que Deus se apiede dos velhinhos.

João Lopes de Matos

10 comentários:

josé alegre mesquita disse...

Gosto cada vez mais de ler o meu caro amigo JLM porque escreve sobre coisas sérias com uma fina ironia que é ... um regalo.

Pois é isso, o monstro que é a dívida.
Não há maneira de nos livrarmos dele(a).
Durante séculos foi o pesadelo que atormentou os portugueses. A pimenta da Índia não chegou para os coches da nobreza de Lisboa e alguns luxos que se copiou dos franceses; depois o ouro do Brasil não foi suficiente para as talhas douradas e as procissões de um povo beato, mais a construção do mosteiro de Mafra; o esforço de modernização dos liberais com a construção do caminho de ferro e algumas estradas levou-nos couro e cabelo.
Salazar percebeu-o e só a pobreza e auto-suficiência nos tirou algum sufoco dos credores.
O 25 de Abril e mais tarde a Europa trouxe-nos sonhos de desenvolvimento que agora se esfumam nas imposições dos que nos emprestaram.
Raio de destino. Há sempre uns poucos que se vão desenrascando.
Saiamos todos e fiquem os que se amanham com a crise e deixamos também os velhinhos que a caridade cristã desses há de salvar da fome.

Anónimo disse...

JAM: Não é por nada mas é a verdade - O seu comentário é excelente. A sério. Mas também elogio com elogio se paga.
JLM

Carlos disse...


Meus Caros:

Ambos têm razão; ambos defenderam brilhantemente as suas damas.

Conclusão:

Razão teria Helder Carvalho

- Faltam testículos ao falo -

se ainda houvesse falos neste Pais!


CF

mc disse...

O Monstro

quando éramos bébés ... punham-nos a xuxa ..às vezes com açucar e vinho... para nos calarem e estarmos quietos

Depois , era o papão .. para estarmos calados e quietos...

Depois o homem do saco , para estarmos calados e quietos

Depois o senhor doutor e a pica , para estarmos calados e quietos

depois o senhor guarda , para estarmos calados e quietos

depois o senhor padre, os pecados e o inferno , para estarmos calados e quietos

depois o senhor prof com a palmatória, para estarmos calados e quietos

depois as sereias , para não irmos para o rio

depois o rio só queria os que sabem nadar , para não irmos para o rio

depois , o parece mal , para estarmos calados e quietos

depois , a Pide , para estarmos calados e quietos,

depois a tropa, para estarmos calados e quietos

depois o 25 de Abril , para estarmos calados e quietos , senão éramos da Pide

depois o 25 Novembro e a democracia para podermos dizer e fazer aquilo que nos apetecesse, e enquanto nós estávamos distraidos a falar e a andar os experientes políticos iam-nos roubando tudo..

... falávamos mas já nem a Pide nos ligáva patavina

depois vieram as crises .. para nos calarmos e estarmos quietos

veio o El niño , o aquecimento, a poluição, para nos calarem e nos

manterem quietos

depois veio a UE com milhões para nos manterem calados e quietos

depois vieram as vacas louças, as gripes das galinhas e dos porcos para nos manterem calados e quietos e gastarmos o dinheiro da UE

Depois vieram as canganças do pé descalço armado em burguês ou em nobre , com as obras faraónicas,para nos manterem calados e quietos

depois vieram os empréstimos , para nos manterem calados e quietos

e depois veio o "MONSTRO" para nos manter calados e quietos..

Que haja quem acredite na xuxa, na pica , na palmatória,nas sereias, na Pide, na guerra,no el niño , nos politicos, nas vacas e nas galinhas .. ainda vá que não vá .. agora em monstros, no pai natal e nas histórias da Carochinha com que impingem a crise para tudo nos roubarem... até a própria dignidade... ao ponto de obrigarmos os jóvens a desistir de lutar pelo seu país mandando-os embora enquanto nós , como velhos escravizados, suplicamos clemencia e uma sopa !!!! Não Não Não

Não existe monstro nenhum chamado crise..

EXISTEM MONSTROS antropofagos que criam as crises para se deleitarem com os indefesos crédulos enganados desde sempre com as xuxas....

cump

mario carvalho

mario carvalho disse...

http://apodrecetuga.blogspot.pt/2013/10/quanto-mais-calado-mais-roubado-e-o.html#.UqD6DdL7q2E

xiu...


quem mais calado mais... roubado

mario carvalho disse...

Hoje mandaram-me um mail de felicitações por dizer umas asneiras no blog dos "marretas"

É um bom sinal .. começam a preocupar-se "cá com a gente".. lol!

cump

mario carvalho

Anónimo disse...

Crédulos, enganados...?!
No Pombal de Ansiães talvez não!
Permitam escreva aqui por ser anónimo e não ter meu sítio nem possibilidade de titular um artigo!
Finalmente alguém se preocupa com os pobrezinhos desta terra e estou muito agradecida por isso, até para contrariar a emigração!
Fui convidada para no dia 15 próximo, de Dezembro ir a um almoço da junta de freguesia em conjunto com o lar de idosos e associação local!
Deve ser um esforço grande por parte da junta porque diz a srª presidente que só lhe deixaram 50 euros na conta!
Fico feliz por saber que esta (minha) presidenta vai começar a cumprir o que prometeu e então vai aproveitar o almoço geral para começar a distribuir o seu ganho na junta que na campanha prometeu dar aos pobrezinhos!
É uma honra ter uma presidenta destas, com P grande, que cumpre o que promete!
Gostava também que toda a junta estivesse presente até só para ver a cara de alguns!
Bom é também conhecer os pobrezinhos do Pombal que sempre terão o seu dia reconhecido.

mc disse...

Minha Senhora ou cara amiga como desejar

Eu sou como a Senhora , sou um anónimo identificado como mc ou mario carvalho, meu nome verdadeiro,não tenho sítio porque adoptei o pensar ansiães ( para quê criar mais )tenho terra natal, ou seja local que adoro e onde fui sempre muito bem tratado quer pelas pessoas , quer por aquilo que os ignorantes chamam de bichos ( cobras, lacraus ,osgas ratos),quer pelas plantas e pelas pedras ... eu sempre os respeitei e ajudei eles sempre me respeitaram e ajudaram... Por tudo isto tenho tentado , à minha maneira, retribuir com todas as minhas forças , lutando contra a sua eminente destruição , por quem nada sabe da nossa terra e nem lhe interessa saber,,, A unica coisa que pretendem é "engordar" ainda mais à custa daquilo que temos..o que preservámos com muito esforço e o que mais me custa,, com a conivencia daqueles que foram eleitos para nos defenderem..

e qualquer dia .. não temos nada..

nem linha, nem escolas, nem médicos, nem finanças, nem tribunais, nem camara, nem pessoas e o que é pior é que ainda mandam os nossos filhos emigrar e a nós os velhos, suplicar a sopa e obrigar-nos a pedir ao Senhor que faça o milagre de nos levar.. para não terem de pagar as reformas de misérias e assim sobrar dinheito para irem comer lagostas ao Tavares Rico..



Eatas terras eram dos nossos avós que tantos sacrificios fizeram para que tivéssemos um futuro melhor...

Minha Senhora ,ou minha amiga como permitir , pela minha parte dou-lhe as boas vindas a este espaço de discussão , para o melhor na nossa terra .. pois é uma lufada de ar fresco e a garantia de que vale a pena lutar..

Felicito-a também pela confiança que deposita na Presidente da Junta do Pombal, certo de que ela tudo fará para retribuir essa confiança.. Agora, mais que nunca, ela precisa do apoio de todos

Não tenho prazer de a conhecer, mas confio na senhora ou minha amiga, como desejar.

Espero que continue e estimule outros amigos a colaborarem neste espaço..

cumprimentos e com admiração pela sua postura

mario carvalho

Anónimo disse...

Obrigada senhor Mário Carvalho.
Irei dando ums "pinceladas" aqui e ali para tentar melhorar, se possível, o nosso concelho, mas não será fácil!
Já me apercebi que a coisa, com tanta hipocrisia e não menos inveja vai ser dura!
Dou-lhe toda a razão sobre o fecho das instituições e o desaparecimento das pessoas!
Naturalmente elas emigram em favor do "bom" conselheiro, ou fogem das ratazanas?
Que vida!

mc disse...

muito obrigado cara senhora amiga

o dar-me razão em alguns aspectos,
foi o maior elogio que me podiam dar

penso que é a primeira a ter a coragem de o fazer , ao longo destes quase 8 anos e por isso redobro o meu sentimento de admiração e o convite a colaborar no pensar ansiaes para que possamos defender os valores que nos incutiram e honrá-los ... contra muitos "comodistas".. para não lhes chamar outra coisa

pf eu sou mario .. e sentir-me ia muito honrado se assim me tratasse

cump mario carvalho