14 agosto 2012

FALAR CLARO E UM CONVITE A PENSAR UM POUCO

Hoje sexta –feira dia 10 de Agosto de 2012, e á hora em que estou a exprimir estas ideias, já terminou o “FARPA 2012” que a ARCPA do Pombal de Ansiães levou a cabo, de 4 a 9 de Agosto. Fui por iniciativa própria, no dia 4 Sábado assistir aos Fados de Coimbra e á exposição de bordados e artesanato ao vivo do Carlos Poeira. Gostei e já manifestei publicamente a minha opinião neste Blogue. Nos dias 5 e 6 não fui, pois outros valores mais alto se manifestaram. Porém, no dia 7 apareci e além da exposição de fotografia do Rui Manuel Ferreira , um jovem de 24 anos, transmontano, com um currículo invejável de meia página,com uma descrição sumária da sua vida e a qualidade de estagiário da UTAD. Das 16 fotografias expostas algumas nada dizem a leigos sem sensibilidade. Nesta noite foi bom, assistir ao espectáculo de Teatro que a OFITEFA ofereceu. A peça denominada “A SAPATEIRA PRODIGIOSA” foi bem interpretada e o desempenho notável desta companhia que já vem fazendo do Farpa uma presença habitual este é o terceiro ano, mas para o ano há mais. Fiquei a saber que o grupo de teatro do FARPA, já não existe e é pena, eu pessoalmente lamento tal decisão. Em troca há o Teatro Infantil do Pombal e é de pequenino que se aprende dizem. Bom continuo na Farpa e quando me desloquei no dia 8 para assistir á anunciada sessão poética de António Domingos do Porto, marcada para as 16,00h segundo o programa, a mesma foi transmitida mais tarde ou nem foi, não sei porque ás 18h desisti do meu desejo. Nesta noite não assisti aos espectáculos de musica do Capagrilos e Beltaine, ainda assiti á montagem das poentes colunas que nessa noite transmitiam o som para embalar idosos. Mas há quem goste e gostos não se discutem. No dia 9 também faltei ao encontro da Farpa e se tive razões para tal, acredito que sem gente não se faz a festa e é preciso, urgente participar e até denunciar o Programa se há horários que não se ajustam ou são de todo inaceitáveis. Por exemplo ás oo,30h actuou o conjunto Musicarcpa, para quem? Para os familiares dos intervenientes? – Sendo naturais da aldeia, ficou tudo em casa, mas é preciso divulgar o mesmo aconteceu com o TEPO, às 1,30h de Sexta Feira é que os meninos que deviam estar a dormir, estão a actuar a trabalhar? Isto não é exploração infantil?!! Tenham paciência amigos, para o ano 2013, o FARPA, tem de acontecer, vai na XVI edição mas com um Programa virado para o exterior, chamar gente de fora e com isto me vou . Pró ano há mais.

18 comentários:

Anónimo disse...

São estas e outras "pequenas"/"grandes" coisas que têm vindo a afastar a população do Concelho desta iniciativa. Quem está à frente da iniciativa, que pense no caminho que quer seguir, pois a continuarem assim, esta iniciativa tão meritória pode começar a agonizar.

Anónimo disse...

De facto posso corroborar este texto. Nos últimos anos, o FARPA tem vindo a virar-se sucessivamente para o seu próprio umbigo e depois dá nisto... É uma coisa para os da casa e nada mais. Mas ai de quem lhes dirija uma crítica!...

Anónimo disse...

SENHOR MANUEL PINTO,ESTE ANO A MELHOR PEÇA DE TEATRO NO POMBAL FOI LEVADA A PÚBLICO JÁ DEPOIS DO FECHO DO FARPA.
ESSA PEÇA FOI A MELHOR PEÇA LEVADA À CENA NO POMBAL,SENDO OS ACTORES JUNTA DE FREGUESIA E ASSOCIAÇÃO R C DE POMBAL DE ANSIÃES.
ESSA VALEU A PENA VÊ-LA.
PARABÉNS A TODOS OS INTERVENIENTES.

Anónimo disse...

oh anónimo qui Ago 16, 10:31:00 a.m., levante lá um pouco o véu catano!parece ter sido uma peça com muitos "papelões"!

Anónimo disse...

Ò professor Mesquita, até parece que tem interesses numa das bandas "sonoras" do Pombal!
Publique tudo e deixe-se de simpatias balofas!

Anónimo disse...

Aquilo só visto,contado não tem piada.

Anónimo disse...

E grandes actores e actrizes!...

Anónimo disse...

Muito boa tarde,
Dá-me a mim, pessoalmente, um grande gozo e satisfação, ler tamanhas mentes eruditas deste concelho, tanto as que escrevem como às que comentam, as que escrevem, julgam-se (e são de facto, como se pode constatar pela peça) pessoas detentoras de uma capacidade acima da média, gente informada e bem avisada.
A crítica, desde que fundamentada de reais factos, é o pilar da evolução de um povo! Que seria do Mundo sem ela? Agora criticar só porque sim, quando não mais se conhece que a opinião de um conjunto de eruditas mentes...
Mas assim é, faz parte, sempre existiram e continuaram a existir aqueles que falam para não estar calados, e a quem eu gostaria de um dia ver a comandar uma casa como a ARCPA, agradando a Gregos e a Troianos.
É interessante como consegue ser contraditório no seu discurso, por um lado sugere um festival para "idosos", por outro defende um pensamento de abrangência e expansão a outras gentes (vulgo concelhos/regiões).
Por outro lado quando dá a entender que a ARCPA usa do FARPA para explorar crianças, deveria, no meu ponto de vista, informar-se acerca de tamanha afirmação, pois os espectáculos estavam marcados para essa hora por se tratar do dia em que se iniciam as festas de S.Lourenço e à hora dos dias anteriores, coincidia com a procissão de penitência (Sempre assim foi caro senhor, sempre em 15 anos de festival), digo-lhe ainda que para não fugir a regra foi de longe o dia que mais gente acorreu à sala de espectáculos.

XPTO

josé alegre mesquita disse...

Simpatias balofas. Dá vontade de rir para estes heróis da crítica e da liberdade de expressão. Põem em causa o bom nome de pessoas respeitáveis até prova em contrário e escondem-se no anonimato. Valentes!!!

Anónimo disse...

SENHOR PENULTIMO COMENTADOR,NÃO SE ESQUEÇA QUE A PROCISSÃO DA NOITE SAÍA SEMPRE ÀS 21 HORAS E ESTE ANO SAIU ÀS 22,DAÍ O ALARGAMENTO DA HORA PARA A APRESENTAÇÃO DO TEATRO.PORQUÊ O PROLONGAMENTO DE UMA HORA?.

Anónimo disse...

tenho sperança que ainda hei-de entender a verdadeira razão porque se faz teatro a uma hora destas e porque carga d\água tem de ser na noite da procissão de penitência do S. Lourenço ou N. Senhora?!

Anónimo disse...

Também tenho a esperança de vir a viver num mundo onde a compreensão, a inter-ajuda, e o associativismo, se sobreponham a mesquinhice barata e as politiquices de Blog...

XPTO

josé alegre mesquita disse...

Saiba que esse seu pensar inquinado e pretensioso sobre o pensar dos outros não é bem vindo neste blogue. E é muito fácil evitar-nos, não apareça por aqui!

Anónimo disse...

Num concelho do interior que tanto precisa de ser debatido perde-se tempo a falar de festivalecos (ao que parece nunca devem ter visto um festival)e tricas de aldeia caindo no ridiculo dos comentários atrás expostos.
Pobre gente que assim passa o tempo...

Lamento, mas lamento mesmo!

Anónimo disse...

Iteligente mesmo, é aquele que não vê só na mesma direção, e aceita os atalhos dos outros,porque corre o risco de vir a viajar sozinho e de se cansar de tanto caminho e de tanta solidão!

Anónimo disse...

A propósito “da farpa” como por ignorância muitos lhe chamam. “Farpa” objecto pontiagudo… etc. etc. Claro que para nós será o “Farpa” – Festival de Artes de… Metaforicamente poderá ser também uma farpa, como um espinho que marca uma viragem na cultura de um povo. O FARPA pretenderá ser isto. Contudo, algumas “farpadas” pretendem incomodá-lo no seu rescaldo!
Se explico? Claro!
No Sábado (dia 11 de Agosto) a Junta de Freguesia como é abastada financeiramente tem um grupo de música que por sua livre iniciativa fez questão de actuar frente ao bar da Associação.
Um dos membros da arcpa entendeu tal actuação como uma afronta e tentou impedir tão sonora amabilidade. O confronto que se seguiu é fácil de imaginar com familiares e amigos em defesa dos seus.
Estes são os factos genericamente explicados.
Independentemente das razões o facto deve envergonhar quem nele participou, mas que decerto não deixa indiferentes todos.
Vamos agora ao âmago da questão e coloquemos ainda que por instantes este episódio à parte.
Não vale mais apenas esconder que as relações pessoais entre a Junta de Freguesia de Pombal e a Associação (ARCPA) são indesejáveis em qualquer parte do mundo e que prejudicam as institucionais. A aldeia de Pombal vive num confronto pessoal e está dividido nas suas forças como talvez nunca esteve.
É claro que neste tipo de desavenças as razões podem também elas dividir-se porque cada acto promete ser pior assim como as atitudes.
Acho que neste assunto a autarquia pela sua superior responsabilidade deveria reflectir sobre este assunto e enxergar a perigosa peste que tem dentro de si e pura e simplesmente expurga-la a que se seguiria um largo período de quarentena.
Só assim, e repito, só assim, é que seria iniciado o processo de regressão à paz e união que mesmo assim já vai durar anos a cimentar.
Quanto mais tarde…

M. Moura

Getulio Fausto disse...

Caro anónimo dos FESTIVALECOS, cálculo que seja também um daqueles que pertence ao grupo elitista dos que tudo sabem, tudo comentam, tem as melhores e mais rebuscadas ideias, tem a solução para todos os problemas na sua mão, no entanto preferem, deixar as suas explosões de massa cefálica por de trás do anonimato num post de Blog.
Pois digo-lhe mais, convido-o, agora nas festas de Carrazeda, a montar um "barraca" de workshops de organização de eventos e associativismo.

Lamento, lamento mesmo que existam pessoas que tanto tem para dar a uma sociedade tão fragilizada como a que apresenta, e nada façam em prol da mesma.

PPP

Getulio Fausto disse...

Caro anónimo dos FESTIVALECOS, cálculo que seja também um daqueles que pertence ao grupo elitista dos que tudo sabem, tudo comentam, tem as melhores e mais rebuscadas ideias, tem a solução para todos os problemas na sua mão, no entanto preferem, deixar as suas explosões de massa cefálica por de trás do anonimato num post de Blog.
Pois digo-lhe mais, convido-o, agora nas festas de Carrazeda, a montar um "barraca" de workshops de organização de eventos e associativismo.

Lamento, lamento mesmo que existam pessoas que tanto tem para dar a uma sociedade tão fragilizada como a que apresenta, e nada façam em prol da mesma.

PPP