21 junho 2008

Parquímetros para os pacóvios

Trata-se de mais um exemplo de submissão e anuência aos ditames dos nossos mandantes, que existem para que os sirvamos e não para nos servirem. Este paradigma justifica tudo. Justifica que nos tirem algumas, poucas, regalias mas que, quem manda as não perca. Repare-se como o exemplo é legitimado. Deixou de se estacionar no centro da vila sem que se pague o tempo de estacionamento, mas o parque privado da C.M. da Escola Profissional e de outros organismos de estado, lá continuam funcionais e gratuitos. Acredito que estas decisões terão sido democraticamente decididas. Mas será que se irá avaliar os seus resultados! Será possível mais uma vez informar-se o povo do preço do estudo técnico realizado para validar esta decisão! E o valor dos parquímetros adquiridos e da sua manutenção monta a quanto! Dizem-me que agora um dos passatempos dos nossos fiscais camarários, é o de vigiar quem está em falta nos pagamentos dos parquímetros, para procederem á respectiva aplicação de coimas. Não invejo estes tristes papéis. Mas já alguém se questionou, se esta tarefa paga ao menos os seus vencimentos! Uma das razões porque o Centro Cultural é pago tão caro, prende-se com a decisão de se ter feito um parque de estacionamento subterrâneo. Afinal de contas, se este parque estivesse a funcionar, visto que está feito, haveria necessidade de onerar o estacionamento de veículos no centro da nossa vila!
Habituado a pagar o que lhe exigem., o povo já deve ter concluído que esta é mais uma maneira de lhe tocarem a chula, e conforma-se porque é tradicional.
È altura de concluir sugerindo pelo menos uma solução, também ela económica, para que se diminua a dimensão dos parques privados das nossas instituições públicas. Passe-se a conduzir as entidades e técnicos superiores em padiola, por esse conselho fora e, dispensar-se-ão automóveis e os respectivos lugares de estacionamento.

7 comentários:

Anónimo disse...

O Partido Socialista fez uma proposta na última Assembleia Municipal que decorreu na bonita Freguesia de Pombal no passado dia 14, para que fosse suspenso o estacionamento pago nas ruas atrás e à frente da Câmara, bem como na rua que vai das bombas da Cepsa ao cruzamento do Alvorada. Apesar de até terem surgido intervenções da bancada da maioria defendendo esta proposta, ela foi chumbada por 23 votos contra, 9 a favor e 2 abstenções. As pessoas deste concelho ainda desconhecem que quem tem os votos é que manda. Dão os votos a um Partido e depois querem que os outros resolvam os problemas. Não pode ser!

Helder Carvalho disse...

Esta comunicação parece vir de alguém informado, quiçá algum dos nossos Elementos da Assembleia Municipal. È pena que se esconda por baixo do anonimato, para nos deixar a informação. Esta triste atitude reforça-me a noção de que, mais do que estar o poder nas mãos de quem dispõe dos votos, está mas mãos de que subjuga pelo medo os que se deixam amedrontar.
Fico assim sem a possibilidade de lhe perguntar se, nessa dita reunião, os que votaram contra apresentaram alguma contraproposta e, quais os argumentos dos que votaram a favor.
De qualquer modo agradece-se a informação.

Anónimo disse...

As observações da oposição, a mais de um ano de eleições, em vez da utilização de uma estratégia inteligente, demonstra fragilidade política e medo!!!!
MJFiel

João disse...

Esta medida dos parquímetros visa permitir estacionamento àqueles que dele precisam por pouco tempo e para impedir que o estacionamento em lugares centrais seja ocupado por quem dele não precisa.
Havia outras soluções.Deixemos passar,no entanto, algum tempo.Se o estacionamento pago permanecer inaproveitado como nas últimas semanas então é porque a solução não serve e ela será derrogada ou alterada na medida das necessidades.
JLM

Anónimo disse...

O argumento do comércio, ideia muito defendida pela maioria PSD, não colhe porque nas tais ruas referidas na proposta do PS, não há comércio e serviriam portanto como estacionamento de apoio à rua principal(Luis de Camões)onde, nessa sim, com toda a justiça se justificam os parquimetros. Já agora um reparo e já li algures alguém referir o investimento feito nas ditas máquinas! É que nos tempos que correm estas máquinas que não dão trocos, já estão ultrapassadas.Não entendo a razão pela qual a Câmara investiu em máquinas que mais tarde ou mais cedo são para trocar. Enfim, se o dinheiro fosse deles, mas não, é de todos os contribuintes !

Anónimo disse...

Diz o Sr. Helder Carvalho e passo a citar "algum dos nossos elemntos na Assembelia Municipal". Então aqui fica a questão, o Faustino já fez algum acordo com estas personagens. Ho PS para onde caminhas....

Anónimo disse...

Bem se vê que este amigo anónimo tem que se informar melhor. Então o Faustino faz parte da Assembleia Municipal? E é ele que tem governado a câmara e mandado as leis cá para fora? Se você quiser ver as coisas como deve ser, de certeza que reconhece os grandes fracassos desta câmara e que é preciso mudar para o nosso concelho sair da cepa torta. Os meus comprimentos para si.